Teste estático em transistores bipolares

image_pdfimage_print

Vanderlei Alves S. Silva

Transistores bipolares são bastantes simples de serem testados usando-se um multímetro e neste artigo ensinaremos a realizar o teste estático, sendo que em outro artigo você irá aprender a realizar o teste dinâmico, o qual consiste em testar o componente com o circuito funcionando.

Teste estático

Este tipo de teste é realizado com o transistor fora da placa de circuito impresso, ou seja, souto e para efetuar a verificação do componente podemos usar tanto um multímetro digital, como analógico e para isso devemos saber se o transistor é PNP ou NPN, sendo que podemos descobrir o tipo do transistor também por meio desse teste.

Vamos ver primeiro os procedimentos de teste usando o multímetro digital.

1º Posicione a chave seletora do multímetro na escala de medir diodo;

 teste de diodo2º identificar se o transistor é PNP ou NPN, para isso pode ser usado o datasheets do mesmo. No entanto, sabendo onde é a base do transistor poderá usar o multímetro para saber qual é o seu tipo, caso este componente esteja em perfeitas condições.

3º Localizar a base do transistor.

Para melhor explicar, vamos tomar como exemplo o transistor BC548, o qual é amplamente usado em diversos projetos eletrônicos. Veja a figura abaixo:

BC548

Vendo esse transistor, notamos que a base encontra-se no terminal central e seu tipo é NPN (os teste que iremos apresentar para este transistor é o mesmo para o PNP, bastando para isso inverter as ponteiras). Com tais informações podemos usar o multímetro da seguinte forma para testá-lo. Acompanhe a próxima figura:

teste_transistor_1

Note que a ponteira vermelha do multímetro está na base e como o transistor é NPN, esta ponteira deverá permanecer ai para realizar o teste no coletor, como mostra a figura seguinte:

 teste_transistor_2Veja que os valores no teste base-emissor e base-coletor foram bem próximos, isso indica um bom funcionamento do transistor. Observação: Os valores apresentados no multímetro podem variar entre transistores do mesmo tipo e mesmo fabricante, ou seja, podem ser diferentes de 718 e 720.

Agora vamos testar se existe fuga entre as junções, para isso colocaremos agora a ponteira preta na base do transistor. Siga a figura abaixo:

 teste_fuga_1No teste acima podemos verificar que não há fuga na junção base-coletor.

 teste_fuga2A figura acima nos mostra que não existe fuga na junção base-emissor.

Fuga é uma corrente indesejada que, por ventura, poderá transitar entre as junções de um transistor.

O último teste agora é para saber se há fuga entre os terminais coletor e emissor. Nesse teste a base não será usada. Acompanhe as figuras abaixo:

fuga_coletor_emissor

No teste entre coletor e emissor, o multímetro deverá apresentar apenas o número 1 no lado esquerdo da tela, independente das posições das ponteiras.

Resumindo! Se o transistor é NPN a ponteira vermelha deverá ficar na base e preta deverá ser encostada no coletor e no emissor. Se for PNP é a ponteira preta que deverá permanecer na base e a vermelha deverá ser encostada no coletor e no emissor. Nessas condições o multímetro deverá apresentar algum valor no display. Em qualquer outra posição das ponteiras o multímetro mostrará o número 1 no lado esquerdo.

 Localizando a Base, o Coletor e o Emissor de um transistor desconhecido

Você deve ter observado no teste do transistor acima que a Base foi o único terminal que se comunicou com os outros dois terminais, portanto, sempre que precisar saber qual é a base de um transistor é só ir posicionando as ponteiras do multímetro nos terminais do transistor até perceber que um deles faz contato com os outros dois terminais. Na maioria dos transistores o Coletor será o de valor menor mostrado no multímetro e o Emissor mostrará um valor ligeiramente maior.

Este teste também ajuda a identificar se o transistor é PNP ou NPN, pois se você encontrou a base e nela esteja a ponteira vermelha, logo o transistor será NPN, mas, se na base estiver a ponteira preta, o transistor será PNP.

Atensão! Nem sempre a base será o terminal do meio, alguns transistores apresentam a base em um dos terminais da extremidade, como é o caso do BF 494. Observe a figura abaixo:

BF494

Note que neste transistor temos o emissor no terminal central.

Teste de transistor com o multímetro analógico

Coloque a chave seletora do multímetro na posição X1, como mostra a figura abaixo:

X1

Não é necessário fazer o ajuste de zero, mas, nada o impede de fazer tal ajuste nesse multímetro caso prefira.

Após isso proceda o teste do mesmo modo como fizemos usando o multímetro digital, porém, no multímetro analógico as ponteiras serão invertidas e, sendo assim, em um transistor NPN, a ponteira preta é quem deverá estar na base. Veja a ilustração abaixo:

Transistor_com_analogico

Se o transistor estiver bom, a agulha irá até aproximadamente ao centro da escala e se inverter a posição das ponteiras a agulha não se moverá. Caso o transistor esteja em curto ou com fuga, a agulha deflexionará com qualquer posição das ponteiras.

No teste de fuga entre coletor e emissor, a agulha não deverá se mover. Veja a figura:

Transistor_com_analogico2

 É isso ai pessoal! Qualquer dúvida deixe seu comentário e aguarde que logo teremos novos assuntos.

Bons Estudos!

Gostou deste conteúdo? Quer muito mais assuntos interessantes e úteis? Então faça uma doação ou torne-se um colaborador e apoie esta obra.

 





apoia-se

18 comentários sobre “Teste estático em transistores bipolares

  1. Me ajudou demais, explicado de forma simples e fácil, não entendi por outros sites, mas por aqui sim.
    Obrigado pela generosidade!

    1. Muito obrigado Aluizio! 😀

      É sabendo disso que consigo inspiração e motivos para continuar com esta obra.
      Espero poder ajudar ainda mais.

  2. sobre o teste de transistor, só disponibiliza um bom assunto como este, uma pessoa que tem boa vontade de ajudar alguém, obrigado.

    1. Obrigado Adilton! 😉

      Espero sempre poder levar ensinamentos úteis para a edificação profissional de outros.

    1. Olá Antonio,

      Desculpe a demora em te responder, pois passei o dia em sala de aula ensinando.

      Mas vamos lá…

      Transistores desse tipo possuem um resistor de 4,7Kohms interno ligado na base, portanto, um teste estático como o apresentado nesse artigo não é nada eficiente. A dica para que você consiga testá-lo é a seguinte:
      1 – Coloque a chave seletora do multímetro na escala de 1k (em multímetros digitais) ou x1k (em multímetros analógicos);
      2 – Como o transistor citado é do tipo PNP, posicione a ponta preta (no caso do multímetro digital) na base do transistor e a vermelha no coletor. Deverá ser verificado um valor em torno de 410Kohms;
      3 – Agora coloque a ponta vermelha no emissor, mantendo a preta na base. O multímetro deverá apresentar um valor próximo a 160Kohms;
      4 – Caso os valores mostrados no multímetro sejam diferentes desses, observe que o coletor deverá apresentar um valor maior que no emissor;
      5 – Para fazer o teste entre coletor e emissor aconselho usar a escala usada para a medida de semicondutores (diodos), onde não deverá apresentar condutividade.

      É isso ai, espero ter ajudado. 😉

      Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *